ONG britânica pede mudanças em maços de cigarro para proteger crianças

A organização não-governamental (ONG) britânica Cancer Research UK, que atua na prevenção e no tratamento do câncer, lançou um apelo para que autoridades adotem mudanças no visual dos maços de cigarro. De acordo com a entidade, usar embalagens menos atraentes e com alertas de saúde é vital para proteger crianças e adolescentes dos males do tabaco.

De acordo com pesquisa realizada pela ONG ano passado, 570 menores começam a fumar, por dia, na Inglaterra. No total, cerca de 210 mil crianças e adolescentes entre 11 e 15 anos fumaram pela primeira vez em 2011, 50 mil a mais do que em 2010. Os números sugerem que cerca de 30% de todos os jovens com menos de 16 anos, na Inglaterra, experimentaram cigarro pelo menos uma vez (o equivalente a um milhão de crianças). Além disso, oito em cada dez fumantes adultos começaram antes dos 19 anos.

Outros estudos já realizados no Reino Unido mostraram que crianças acham as embalagens sem cores ou logotipos menos atraentes e, neste caso, há uma chance menor de serem estimuladas pelas técnicas de propaganda voltadas para jovens. A Associação dos Fabricantes de Cigarros britânica, no entanto, argumenta que a porcentagem de crianças que fumam no país atingiu “o nível mais baixo: 5%”.

A discussão sobre as questões das embalagens e da exibição dos maços de cigarro em pontos de venda já extrapolou fronteiras. Em 2012, a Austrália adotou o maço padronizado e sem propaganda. A Nova Zelândia divulgou intenções de copiar a medida ainda este ano (o país já conta com leis que, por exemplo, obrigam vendedores a esconder maços de cigarros atrás do balcão).

A última iniciativa neste sentido veio de Nova Iorque, na última segunda-feira: o prefeito Michael Bloomberg apresentou novo projeto de lei para proibir a exposição do cigarro em lojas de conveniência, padaria e farmácia, em toda a cidade. Caso a medida seja aprovada, lojistas só poderão manter o produto em gavetas, sob o balcão, atrás de cortinas ou em outros pontos fora das vistas dos consumidores.

Nós, no Brasil, queremos a proibição dos aditivos nos produtos de tabaco e o fim da propaganda de cigarros nos pontos de venda. Também apoiamos embalagens sem logomarcas e venda desses produtos fora do alcance da visão.

Deixe uma resposta