Consumo de refrigerantes e bebidas açucaradas é responsável pela morte de 13 mil adultos, por ano, no Brasil

Uma pesquisa inédita que traz dados impressionantes sobre o impacto das bebidas açucaradas: doenças, mortes e custos aos cofres públicos. Quase 13 mil adultos morrem por ano no Brasil devido ao consumo excessivo de bebidas açucaradas – categoria de bebida que inclui refrigerantes, bebidas de fruta e chás ultraprocessados com adição de açúcar, como sucos de caixinha, por exemplo.

Por causa das bebidas açucaradas, quase 1,4 milhão de adultos têm diabetes tipo 2 no Brasil, o que representa 16% do total de pessoas com a doença. A cada ano, mais de 80 mil novos casos de diabetes tipo 2 são atribuíveis às bebidas açucaradas, e 5.179 mortes de pacientes com essa doença são devidas ao consumo de refrigerantes, bebidas de frutas e chás açucarados, por exemplo.

Custos para a saúde pública: quase R$ 3 bilhões/ano

Outro dado inédito é o cálculo do custo que o consumo de bebidas açucaradas traz aos cofres públicos: o sistema de saúde brasileiro gasta quase R$3 bilhões, por ano, na atenção a pacientes com doenças provocadas pelo consumo de bebidas açucaradas. Deste total, quase R$ 140 milhões são usados na atenção a pessoas com obesidade e sobrepeso, e R$2,860 bilhões com pacientes das demais doenças associadas (diabetes tipo 2, doenças cardíacas, cerebrovasculares, doenças renais, asma, doenças osteomusculares e câncer).

Essas são algumas estimativas do estudo “O lado oculto das bebidas açucaradas: doenças, mortes e custos à saúde”, uma pesquisa internacional realizada ao longo de 2020 com o objetivo de estimar as cargas de doenças atribuíveis ao consumo de bebidas açucaradas em países da América Latina. Clique aqui para acessar o infográfico com os principais dados – ou clique aqui para acessar um relatório científico, em inglês, que descreve a metodologia e o modelo utilizado nas estimativas.

Pesquisa regional

O estudo foi coordenado pelo Instituto de Efectividad Clinica y Sanitária (IECS), e contou com a participação de pesquisadores em saúde de universidades, centros de pesquisa e instituições públicas da Argentina (IECS), Brasil (ACT Promoção da Saúde), El Salvador (Ministério da Saúde) e Trinidad e Tobago (Universidade das Índias Ocidentais). Um projeto colaborativo, financiado pelo Centro de Desenvolvimento Internacional do Canadá (IDRC).

Os resultados foram obtidos por meio de um modelo matemático desenvolvido pelo grupo de pesquisa que permite estimar as probabilidades que as pessoas têm de apresentar excesso de peso, adoecer ou morrer por diabetes tipo 2 e diversas doenças devido ao consumo de bebidas açucaradas. Para a pesquisa no Brasil, foram utilizados dados nacionais da Pesquisa Nacional de Saúde, Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de 2008 e 2018, Vigitel 2018, entre outras referências.

Veja outros destaques do estudo:
  • O consumo de bebidas açucaradas mata quase 13 mil adultos por ano no Brasil.
  • 2,2 milhões de adultos brasileiros estão com obesidade ou sobrepeso devido ao consumo de bebidas açucaradas.
  • Devido ao consumo de bebidas açucaradas, 1,3 milhão de pessoas têm diabetes tipo 2 no Brasil. A cada ano, mais de 80 mil novos casos de diabetes tipo 2 são atribuíveis às bebidas açucaradas, e 5.179 mortes de pacientes com diabetes tipo 2 são devidas às bebidas açucaradas
  • Devido ao consumo de bebidas açucaradas, existem no Brasil, hoje, 323 mil pessoas com doenças cardiovasculares,  cerebrovasculares e câncer.
  • Por causa do consumo de bebidas açucaradas, 13 mil adultos morrem a cada ano no Brasil e mais de 355 mil anos de vida saudável são perdidos por morte prematura e incapacidade (AVAI – Anos de Vida ajustados em função da Incapacidade), números que poderiam ser evitados.
  • Do total de crianças brasileiras com obesidade infantil, cerca de 10% dos casos são devido ao consumo de bebidas açucaradas, o que representa quase 205 mil crianças. No Brasil, cerca de 721 mil crianças estão com sobrepeso ou obesidade por causa do consumo de bebidas açucaradas.
  • O sistema de saúde gasta R$ 3 bilhões, por ano, na atenção a pessoas com doenças provocadas pelo consumo de bebidas açucaradas. Deste total, quase R$140 milhões na atenção à obesidade e sobrepeso, e R$2,860 bilhões com as demais doenças associadas (diabetes tipo 2, doenças cardíacas, cerebrovasculares, doenças renais, asma, doenças osteomusculares e câncer).

 

Deixe uma resposta