Conta do Cigarro: enquanto nos EUA eles reembolsam, no Brasil eles embolsam

No ano passado, a ACT lançou a campanha Conta do Cigarro para apoiar uma ação da Advocacia-Geral da União (AGU) que pede o ressarcimento do SUS pela indústria do tabaco devido aos danos causados pelo fumo, já que o valor que as empresas pagam em impostos (aproximadamente 13 bilhões de reais em 2017) não chega nem perto do valor perdido com tratamento de doenças e perda de produtividade relacionadas ao tabagismo (cerca de 57 bilhões de reais no mesmo ano). Agora, a pandemia de Covid-19 evidenciou ainda mais a falta de recursos da saúde e a necessidade de maiores investimentos no setor, e por isso lançamos, na semana do Dia Nacional de Combate ao Fumo (29/08), uma nova fase da campanha.

Nos Estados Unidos, uma ação semelhante à da AGU foi acatada pela justiça e fez com que a indústria reembolsasse – até agora – mais de 160 bilhões de dólares aos cofres públicos do país. Assim, uma das principais peças da nova fase da campanha traz a mensagem “Enquanto nos EUA eles reembolsam, no Brasil eles embolsam”. Outro ponto importante a ser destacado é que, além do baixo valor pago em impostos em comparação aos prejuízos causados por seus produtos, a indústria do tabaco também se recusa a pagar a taxa de registro de produtos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), embolsando ainda mais recursos que poderiam ser investidos na saúde.

Até agora, a indústria ficou com os lucros da venda de um produto altamente viciante e maléfico e deixou o prejuízo para a sociedade, mas vamos cobrar essa conta. Acompanhe as redes sociais da ACT e compartilhe a campanha!

Deixe uma resposta