Cigarro radioativo

A revista Scientific American Brasil está com uma ótima edição especial sobre saúde (no.55), e um dos artigos é sobre a presença do Polônio-210 nos cigarros. Trata-se de um veneno radioativo que se acumula nos pulmões e pode provocar câncer. Um dado impressiona: quem fuma um maço e meio por dia, está absorvendo o equivalente à radiação de 300 raios X de tórax a cada ano!

Isto poderia ser evitado pois há décadas a indústria do fumo sabe como removê-lo, mas deliberadamente optou por não fazê-lo. O motivo? “A remoção destes materiais não traria vantagens comerciais”, segundo memorando interno da indústria revelado na matéria.

E as pessoas ainda tendem a ver o fumante como único responsável pelo seu vício e suas consequencias. Nada mais cômodo para a indústria do tabaco, que continua se eximindo de assumir sua parte de responsabilidade nesta história.

Deixe uma resposta