Chegou a hora do Brasil cobrar a conta da indústria do cigarro

Com a indústria do cigarro, o Brasil está no prejuízo é o slogan da campanha #ContaDoCigarro, da ACT Promoção da Saúde, lançada na semana do Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado em 31 de maio.

A estreia foi com um vídeo do médico Drauzio Varella, parceiro de longa data da ACT, que já reuniu mais de 36 mil visualizações no Facebook, quase 30 mil no Instagram, e 9 mil no Youtube.

As peças alertam para os danos do tabagismo à sociedade brasileira, especialmente ao setor público de saúde, e dão apoio à ação de ressarcimento de custos da Advocacia Geral da União, apresentada em 21 de abril, na 1ª Vara Federal de Porto Alegre/RS, contra a Souza Cruz e a Philip Morris. A intenção da ACT é mostrar que o custo do tabagismo não pode ser pago pela população. Chegou a hora da indústria pagar essa conta.

A campanha se baseia em estudo do Instituto Nacional do Câncer (Inca), entre outras organizações, que calculou o prejuízo causado pelo tabagismo: R$ 57 bilhões, por ano, equivalente a quase 1% do PIB nacional. Desse total, R$ 39,4 bilhões são custos diretos, por gastos com despesas médicas, e R$ 17,5 bilhões com custos indiretos, pela perda de produtividade, como incapacidade ou morte prematura. São 156.216 mortes anuais, ou 428 mortes por dia.

No período do estudo, 2015, a arrecadação de impostos sobre a venda de cigarros foi de R$ 13 bilhões. O déficit é de cerca de R$ 44 bilhões.

No site da campanha é possível baixar cartazes com os textos das peças e participar, fazendo uma foto ou gravando um vídeo e compartilhando nas redes sociais com a hashtag #ContaDoCigarro.

Deixe uma resposta