ACT lança Guia de Ações de Advocacy para a Agenda 2030

Recentemente, a ACT lançou um Guia de Ações de Advocacy para a Agenda 2030 para apoiar iniciativas de promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Brasil. O guia está disponível gratuitamente e destaca estratégias e exemplos de ações adaptadas ao período de isolamento social imposto pela pandemia da COVID-19, quando vários tipos de eventos e atividades tiveram que ser repensados ou reformulados.

O que é a Agenda 2030 e como está a implementação no Brasil?

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável é um plano de ação para as pessoas, para o planeta e para a prosperidade firmado por todos os 193 Estados membros da Organização das Nações Unidas (ONU) em 2015. Ela é constituída por objetivos e metas que são essencialmente guias que indicam elementos a serem considerados por governos, sociedades, empresas e pelo setor acadêmico para direcionar o mundo para um caminho sustentável.

O Brasil foi um dos países que liderou as negociações da Agenda 2030, mas infelizmente não tem investido o suficiente no desenvolvimento sustentável, como mostram os resultados do último Relatório Luz elaborado pelo Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030, do qual a ACT faz parte, que avaliou o status atual dos ODS no país. Na edição de 2020, os especialistas que elaboraram o relatório concluem que a concretização de todos os ODS está ameaçada e que vivemos uma “tragédia anunciada”.

No entanto, estamos atualmente na Década de Ação sobre os ODS e ainda há tempo de mudar o jogo por meio de ações e da implementação de políticas públicas integradas e eficazes. Para conseguirmos isso, ações de advocacy voltadas à Agenda 2030 são mais importantes do que nunca.

O guia

Com isso em mente, a ACT elaborou o guia para ajudar outras organizações da sociedade civil a realizar ações e fazer advocacy em prol dos ODS. Com a pandemia da COVID-19, muitas organizações encontraram dificuldades para se adaptar ao novo contexto de atuação, seja porque processos e mecanismos usuais de participação foram interrompidos, seja porque novas formas de interação precisaram ser exploradas para garantir a participação social em instâncias onde se debatem temas de interesse público. Realizar ações de advocacy neste contexto requer flexibilidade e uso criativo de novas ferramentas a nosso alcance, como as mídias sociais.

No guia, você poderá encontrar ações e dicas relacionadas com as áreas de planejamento estratégico para advocacy, produção de conhecimento, comunicação, mobilização e incidência política, além de um infográfico informativo para ajudá-lo a elaborar um plano de advocacy. Clique aqui para ver e fazer download do guia e aproveite.

Deixe uma resposta