Uma crônica de Cora Rónai

Fonte: O Globo, Segundo Caderno, 12.5.2011 e http://cora.blogspot.com/

“Uma vez cheguei a uma capital européia que o presidente Lula havia acabado de visitar. Amigos que trabalharam na sua recepção me contaram que ele passou dois dias no país, mas que a embaixada teve que desembolsar duas diárias a mais pela suíte presidencial do melhor hotel. Isso porque sua excelência se recusou a tomar conhecimento da proibição de fumar nos aposentos, e deixou o lugar tão empesteado que, à sua saída, tudo o que lá havia teve de ser lavado e desinfetado para poder receber o próximo hóspede. Cada diária custava alguns milhares de reais, mas e daí? A vontade era dele e o dinheiro era nosso, perfeita combinação num país de tolos.

Senti tanta vergonha alheia quando ouvi isso que tive vontade de me esconder debaixo do sofá. Não consigo imaginar uma pessoa com um mínimo de educação agindo assim, quem dirá um chefe de estado que, em tese, devia dar exemplo. Vexame à parte, que já é o suficiente, não deixaria de ser curioso saber quanto o país andou pagando, pelo mundo afora, por esse comportamento desqualificado do seu então supremo mandatário.

Perguntinha básica: a Dilma fuma?”

Achei uma excelente crítica da Cora Rónai, na verdade uma denúncia!

Deixe uma resposta