Acupuntura e hipnose têm ‘efeitos nulos’ para deixar de fumar, diz estudo

Fonte: Diário de Notícias
Lisboa – Portugal
Data: 28/02/08 Por Rute Araújo

Não falta evidência científica sobre os efeitos negativos do tabaco na saúde. E também não faltam tratamentos para deixar de fumar. Contudo, nem todos têm o mesmo efeito. Para ajudar a avaliar a eficácia de cada um, foi apresentado um guia dirigido aos médicos para que aconselhem os melhores métodos aos seus pacientes. As conclusões dizem que os medicamentos são os mais eficazes e que as técnicas alternativas, como a acupuntura, a hipnoterapia ou os estímulos eletromagnéticos têm “efeitos nulos”.

Desenvolvido pelo Centro de Estudos de Medicina Baseada na Evidência, da Faculdade de Medicina de Lisboa, as normas para deixar de fumar partiram da análise dos estudos científicos realizados nos últimos 30 anos. O diretor, António Vaz Carneiro, refere que quando se diz que um determinado método não tem efeito é porque não existem provas científicas que o comprovem.

Para o coordenador do guia, o tabagismo “é uma das áreas da biomedicina em que mais se investiga” atualmente. E acrescenta que, no caso das técnicas alternativas, “até podem funcionar em alguns casos, mas o objetivo é que os médicos utilizem as terapias que dêem resultados no maior número de doentes (…) infelizmente, esses instrumentos são basicamente inúteis ou têm um efeito negligenciável”

O estudo lembra ainda que há populações de risco para as quais o tabaco tem efeitos ainda mais nefastos. É o caso dos doentes com problemas cardiovasculares, respiratórios e das grávidas – “estima-se que a cessação durante a gravidez possa prevenir 10% das mortes perinatais, 35% dos recém-nascidos de baixo peso e 15% dos partos prematuros”.

António Vaz Carneiro lembra que, apesar de os medicamentos serem o método mais eficaz, nem todos os fumantes têm de ser tratados desta forma. “Deve tentar-se primeiro outras abordagens num jovem de 25 anos sem doenças, que apresenta uma situação completamente diferente da de um doente coronariano com 55 anos”, exemplifica.

A primeira abordagem aconselhada aos médicos passa sempre por avaliar o grau de dependência e o grau de motivação do fumante para largar o cigarro.

2 comentários sobre “Acupuntura e hipnose têm ‘efeitos nulos’ para deixar de fumar, diz estudo

  1. O melhor método para largar de fumar, para qualquer um, é o convencimento próprio. A forma pela qual isso poderá ser alcançado pode variar, mas ninguém larga de fumar enquanto não QUER mesmo, de verdade, largar da nicotina. Não acredito que um médico possa convencer facilmente qualquer pessoa que tenha fumado por mais de vinte anos a abandonar o fumo enquanto essa pessoa não CONVENCER A SI MESMA de que precisa disso. Pode somar aí hipnotizadores, curandeiros, gurus e que tais.
    Ora, ainda lembro quando assistia reportagens na televisão falando dos malefícios do cigarro… eu simplesmente desligava a televisão ou mudava de canal. Tinha ouvidos moucos para conselhos de médicos, parentes e amigos. Enquanto EU MESMO não quis, de forma cabal, largar de fumar, não houve método que desse certo.
    O problema está no seguinte: como devem os médicos agirem para que as pessoas se convençam de que devem largar de fumar? Pode acreditar que não é fácil. Mas, conseguido isso, meio caminho está feito.
    Um abraço.
    Beto.

  2. Concordo com o Roberto e acrescento apenas que é importante, na hora de aconselhar, pesar não só os métodos que apresentem resultados mais generalizados, mas também efeitos secundários mais reduzidos.

Deixe uma resposta