Fumo on demand

Por Anna Monteiro

No começo do mês, a Netflix prometeu reduzir as cenas com cigarros em suas produções, depois que um relatório da The Truth Initiative mostrou que cenas com cigarros triplicaram nas produções de streaming e canais de TV abertos e pagos. The Truth é uma organização não governamental americana, comprometida em fazer do tabaco uma coisa do passado, como eles próprios se definem.

Crédito tabelas: The Truth

Em 2018, a Truth Initiative lançou um estudo sobre a renormalização do fumo nas produções on-demand e, este ano, analisou novamente os programas mais vistos entre o público de 15 a 24 anos. O número de vezes em que personagens foram retratados fumando nas séries analisadas foi de 299, em 2016, para 866, em 2017.

A badalada Stranger Things, que estreou sua terceira temporada em julho, chamou a atenção e foi bastante criticada: 100% dos episódios da primeira e segunda temporadas mostravam pessoas fumando ao menos uma vez. Na primeira temporada de “Stranger Things”, eram  182 cenas, e na segunda, 262 cenas. O documento também ressalta o crescimento em “Orange is the New Black”, de 45 para 233, e “House of Cards”, de 41 para 53.

De acordo com o relatório, em geral 92% das séries continham imagens de cigarro na temporada 2016-17, contra 79% na temporada anterior, de 2015-16.

Em comunicado à imprensa, a Netflix disse que novas séries originais com classificação indicativa de 14 anos, assim como os filmes para maiores de 13 anos, não exibirão mais cenas com cigarro. A plataforma ressaltou que apoia a expressão artística e que fumar é prejudicial à saúde, e quando retratado positivamente na tela, pode influenciar os jovens. A exceção será quando for necessário para dar “precisão histórica ou factual”. 

Deixe uma resposta